ORGULHO de ser MINORIA (por Hpcharles)


Parece que tem muita gente preocupada com você. Parece que tem muita gente preocupada com o que você se orgulha. Parece que tem muita gente preocupada com o que você faz com o seu corpo. Parece que tem muita gente preocupada com quem você ama. Já repararam nisso?

Já repararam também que, justo essas pessoas que se preocupam com a vida dos outros e com aquilo com que os outros se orgulham, não costumam olhar para as suas próprias vidas. Será que é porque não gostam do que veem? Será que é porque a imagem não é bonita? Será que não possuem reais motivos para ser orgulhar do que tem para dizer?

Isso me fez imediatamente lembrar de uma antiga mitologia que contava que Deus teria feito o Ser Humano caminhar em fila indiana carregando duas mochilas: uma no peito e outra nas costas. Na mochila da frente estariam suas qualidades e na que carrega em suas costas estariam seus próprios defeitos. Seria por isso, que o Ser Humano, só consegue ver as suas qualidades e os defeitos dos outros, sem notar que, aquele que segue à sua frente ou às suas costas, verá exatamente o mesmo.

Será que essas pessoas que se incomodam tanto com o orgulho dessas mesmas minorias que tanto odeiam, não poderiam se incomodar, ao invés disso, com o que sofrem essas minorias? Não seria mais moral? Mais ético? Não seria mais “cristão”?

Será que não seria mais importante, mais profícuo, se se importassem que, ainda hoje, tem gente que acha que negros devem subir pelo elevador de serviço? Não seria mais pertinente se repudiassem o fato de haver gente que acredita que homossexuais são “aberrações”? Se compreendessem que ameaçar quem não acredita em seus credos com punições e torturas terríveis é vil, é medieval, é estúpido?

Será que não sabem que em pleno 2012, avalizados pela mesma religião e teologia que queimou mulheres por exercer a sua sexualidade, que escravizou incontáveis e que transformou o prazer em pecado e o sofrimento em virtude, ainda existem pais que expulsam seus filhos de casa por serem gays? Mesmo sabendo que antes de serem gays são seus filhos e que antes de serem seus filhos são seres humanos?

Será que são tão cegos dentro de suas bolhas bíblicas, que não entendem que ainda hoje, tem gente que tem medo de dizer a seus amigos e familiares que não acredita em deus porque SABE que cometerá suicídio social? Que dependendo de onde more e em que região resida será visto como um pária? Uma vergonha para a comunidade?

Será que realmente acreditam que no Brasil não existe preconceito? Será que essas mesmas pessoas que tem fé para acreditar em um ser que sabe, vê e ouve tudo o que, TODAS as pessoas ao redor do globo terrestre fazem e dizem AO MESMO TEMPO, são incapazes de enxergar algo mais basilar? O fato de que negros ainda são vistos com desconfiança e temor, apenas por serem negros?

Será que essa burrice é irremediável? É curioso como não conseguem vislumbrar que, enquanto houver preconceito, são essas pessoas orgulhosas e que gritam seu orgulho, é que servem de bálsamo, de exemplo e de alforria para aqueles que ainda não conseguem se manifestar. Para aqueles que estão no armário, para aqueles ainda acorrentados, para aqueles humilhados em seus quartos, com sua dignidade sempre de malas prontas. São eles que mostram que você pode, que não está sozinho, que existem outros iguais a você, lutando por igualdade e reconhecimento. São eles que espancam sua vista afirmando que o corajoso morre uma vez apenas, mas que o covarde morre todos os dias.

Que direito tem tais pessoas, que criticam o orgulho do outro, de querer impor regras para o que cada um faz com seu próprio corpo, para dizer o que é certo para mim? Ora, quem deu procuração para aquele sujeito carismático no púlpito, para que advogasse sobre a vida na terra e vomitasse sandices para que suas ovelhas, com suas bundas sentadas na cadeira, o ouvindo febril e hipnoticamente, repetissem como papagaios: “é isso mesmo, é pecado!”? E, nessa esteira, se arrogassem ao direito julgar outras pessoas por desejarem seguir com seus projetos de vida e casarem com quem quiser, por exemplo? O QUE VOCÊS TEM COM ISSO?!?!?!? SUAS VIDAS NÃO LHES BASTAM?!?!?!?

Será mesmo que quem se preocupa com o orgulho dos outros não tem nada melhor para fazer? Ou será que existe um problema maior? Será que essas pessoas que se preocupam com o que os OUTROS se orgulham, o fazem porque não possuem algo para, eles mesmos, se orgulharem?

Será que o fazem porque não tem orgulho? Será que é isso?

Mas então porque não param de avalizar o indesculpável, o imperdoável? Porque esses mesmo religiosos que tanto criticam as minorias, não começam a agir para que também possam se orgulhar de romper com a hipocrisia, de combater o preconceito, de chutar a bunda dos racistas, dos misóginos e dos homofóbicos? Porque não cobram de sua igreja, que entregue os incontáveis pedófilos em suas trincheiras, cuja a única punição recebida por destruir a infância de uma criança, foi uma viagem para conhecer o Vaticano ou ser transferido para outra paróquia onde poderá perpetuar sua patologia em outros jovens sem ser incomodado?

Porque não agem para possam ter orgulho também? Dizendo a quem está sentado a seu lado na igreja, que não importa o que um livro escrito na Idade do Bronze diz, pois quando uma pessoa ama a outra, ela não o ama porque é homem ou porque é mulher, ela ama o SER HUMANO!

Será que a conduta de suas instituições e de suas crenças ao longo da história foi tão nefasta, que fez com que você ficasse tão sem orgulho, que tivesse que invejar o meu? Será que as inúmeras mortes, a tortura nas masmorras, o sexo homossexual no claustro, a venda de milagres e a violação da inocência alheia o deixou sem orgulho...te relegou a vergonha?
Sim, porque se eu varresse tudo isso para debaixo do tapete eu teria vergonha. E talvez, em meu egoísmo e narcisismo, tivesse alguma inveja desses chatos que fazem questão de jogar na minha cara a todo momento que, apesar de serem humilhados, desmerecidos no mercado de trabalho, olhados com repugnância...ainda assim me aviltam dizendo: Olhe para mim! Eu existo! Sou igual a você! Eu amo e odeio! Eu sinto dor! Eu sofro quando me rejeita e sorrio quando você me abraça!

Eu sou a minoria orgulhosa que tanto te incomoda, MESMO sendo minoria. Eu sou a cicatriz que prova a chibata, a queimadura que evidência a fogueira, a lágrima que não escorreu. Eu sou o cisco em seu olho, aquele que te lembra que democracia não é a ditadura da maioria.

Será que em sua cegueira de homilética, não vês que é justamente o fato de você se preocupar com o meu orgulho é que faz com que eu tenha de externá-lo? Não entendes que é exatamente a sua néscia preocupação e atitude de “menino mimado” o fiel da balança? O indicativo inexorável de que tal orgulho ainda precisa ser demostrado? Que a sua indignação, fútil e sem sentido, é a própria marca da besta, a chancela do preconceito, a certeza de que o mundo precisa mudar?

Aceite que a Idade Média e suas mazelas ficaram para trás e perceba que todo movimento de minorias ao longo da história é inelutável e sempre prevaleceu, não importando o tempo que leve. Mas entenda sobretudo que, essa não é uma luta onde existam reais vencedores, apenas baixas, pois de fato quem perde com ela é a humanidade e o progresso.

Do fundo do coração eu torço para que você, que tanto se importa com o orgulho alheio, encontre o seu próprio orgulho. Que encontre não só isso,  mas também a mão do negro, o abraço do ateu e a amizade despojada de “mas ou talvez” do homossexual.  Que o único parâmetro seja o caráter.

Quem sabe nesse dia, o “dia do orgulho” seja então desnecessário. Quem sabe, a partir desse momento, no Brasil, não tenhamos mais “dias de santos, dias de negros ou dias de ateus”. Tenhamos apenas o dia da humanidade. Onde a conversa despretensiosa e franca seja liberada, gratuita e a ordem seja a de troca de afetos e não de ofensas, como uma “lei seca” maluca e inebriante, onde o bafômetro só meça o sorriso e o que se aprendeu com quem está a seu lado, não importando nada além daquele momento. Nesse dia então, TODOS terão orgulho de dizer: “eu tenho orgulho”!

Tal dia pode estar distante, mas não custa sonhar, não custa torcer. Toda realização começa com um sonho, com um desejo. Esse dia então, seria o dia da verdadeira redenção, onde as diferenças diminuiriam e haveria espaço para todos; gregos e troianos, crentes e descrentes, brancos e negros, heterossexuais e homossexuais.

Esse dia seria o dia em que o homem poderia ser o quisesse. Sem receios, sem medos, sem pudores, sem vergonhas alheias, sem punições eternas. Todos iguais: primatas, bípedes, homo sapiens. Apenas isso...e isso seria suficiente...


                                                                  Hpcharles

9 comentários:

  1. Sem dúvida você escreve muito bem e sabe se expressar. Concordo com sua opinião sobre as pessoas que estão na igreja e sobre as pessoas que não estão, mas se encaixam nesse padrão, a tal massa da sociedade hipócrita e sem senso crítico que oprimi os ouros.
    Enfim, sou nova leitora do blog
    e... me surgiu uma dúvida. Tatiana e Hpcharles são a mesma pessoa??
    Pois no inicio do texto está o
    Título e ao lado tem (Por Hpcharles), e no final do texto esta no canto esquerdo ''DITO POR Tatiana''. :D

    ResponderExcluir
  2. Texto incrível, gostaria de ter todos esses textos aqui do blog reunidos em livro ou algo que eu pudesse entregar na mão de alguém e dizer "leia isso".

    Laryssa e La paranoica que comentaram acima, pelo que eu entendi de um comentário da Tati em um vídeo do canal, ela e o HP são noivos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (Hp) Obrigado pelos elogios AVS. Livros virão, aguarde. 1abç "procê".

      Excluir
  3. Hpcharles, você escreve divinamente bem!
    Toda essa capacidade de expor tão bem pensamentos através de palavras, a argumentação, as ideias...é realmente elogiável! Parabéns, curto bastante seus textos. Ah, e futuramente terei prazer em ter seus títulos em minha estante, caso resolva mesmo publicar livros! Abraços! =)

    ResponderExcluir
  4. Estarei aguardando ansiosamente os livros do Hp!

    ResponderExcluir

<< >>